Image sobre

Conheça um pouco
da história da Fe Garay

1986
INFÂNCIA

Fernanda Garay Rodrigues nasceu em 10 de maio de 1986, primeira de cinco irmãos, Heleno (1987), Adonis (1989) e Adriano (1989), filhos de Jussara e Luiz Fernando, e Isabella (2005), do segundo casamento da mãe.

Passou a infância em Porto Alegre no bairro Jardin Ypu.

Os pais trabalhavam fora e a deixavam responsável pelos irmãos mais novos, foi a primeira a poder usar o controle da TV.

Desde cedo se mostrou independente e empreendedora, produzindo geladinhos e pulseirinhas para vender pelo bairro.

center Ver Mais

Vem de uma família de desportistas, o pai Luis Fernando foi jogador de basquete do Clube Náutico União e fez parte da seleção militar de basquete, a mãe Jussara jogou voleibol na juventude e é praticante de corrida de rua até hoje.

Os irmãos, também estiveram envolvidos nos esportes. Heleno foi membro da Seleção Brasileira de Salto Triplo e os gêmeos Adonis e Adriano integraram a seleção gaúcha de basquetebol e jogaram em outros grandes clubes do Brasil. A pequena Isabella também tem sua cota de esportes, primeiras manchetes nas quadras de voleibol.

1997
PRIMEIROS PASSOS NO VÔLEI

Por insistência dos pais começou na escolinha de voleibol da SOGIPA no ano de 1997 e no ano seguinte foi convidada pelo professor Osmar Pohl para integrar as equipes de competição do clube.

Aos 14 anos ela já media 1,81 de altura e mesmo com idade para jogar na categoria infantil, já atuava como central da Seleção Gaúcha Juvenil. Ganhou o título da 1° divisão do Campeonato Brasileiro Juvenil no estado do Pará e no mesmo ano, na categoria infanto-juvenil, sagrou-se campeã brasileira na divisão especial no Rio de Janeiro e recebeu sua primeira convocação para a Seleção Brasileira Infanto-Juvenil.

Ao mesmo tempo em que se destacava no voleibol, sendo sondada por equipes de São Paulo para uma possível contratação, sofreu um grande baque ao ver os pais se separarem, tendo que amadurecer rapidamente para dar suporte emocional à família, o que a levou a adiar o sonho de se tornar uma jogadora profissional.

Com o divórcio dos pais, sua família passou por dificuldades financeiras que comprometiam a compra dos livros da escola, a compra de materiais esportivos e as viagens para os jogos. Foi nessa época que o treinador Osmar Pohl, que acompanhava de perto toda a situação, ofereceu ajuda com algumas despesas com a escola e o voleibol, sendo um grande amigo nesse momento de dificuldade.

center Ver Mais
2001
INÍCIO DA CARREIRA PROFISSIONAL

Em 2001, o técnico da seleção adulta Marco Aurélio Motta, que acompanhava os treinamentos da seleção infanto-juvenil, deu uma dica que mudou a história de Fernanda: disse que ela era “baixinha” para a posição de central e a aconselhou a considerar uma mudança de estratégia para sua futura carreira e começar a treinar como ponteira.

2002
voleibol paulista

Às vésperas de completar 16 anos foi para o voleibol paulista, contratada pelo São Caetano/Açúcar União. Pela primeira vez teve que ficar longe da família e isso foi uma grande mudança em sua vida, porém sabia que precisava disso para tornar-se uma grande jogadora e alcançar seus objetivos: defender seu país na categoria adulta, realizar o sonho de disputar as Olimpíadas e principalmente proporcionar um futuro melhor para sua família.

São Paulo realmente mudou sua vida, não só pelas oportunidades profissionais. Por ser um ambiente multicultural e muito diferente da região sul, onde uma adolescente negra passa por diversas barreiras em relação aos padrões de beleza, em São Paulo conseguiu se valorizar, se achar mais bonita e se sentir em casa.

Durante os treinos da seleção Infanto-Juvenil naquele ano o técnico Marco Aurélio Mota, que acompanhava os treinamentos, deu uma dica que mudaria a história de Fernanda no voleibol.

Assim que chegou a São Caetano, seguindo os conselhos de Marco Aurélio Motta, passou a se dividir entre a posição de central na categoria infanto-juvenil e ponteira na juvenil. Naquele mesmo ano conquistou o Campeonato Sul Americano Infanto-juvenil em Barquecimeto na Venezuela e foi eleita MVP da competição como ponteira. Uma confirmação de que havia tomado a decisão certa ao optar pela mudança de posição.

Em 2004 assinou um contrato com a equipe do MRV/Minas de Belo Horizonte em Minas Gerais, que na época estava investindo na categoria de base, dando assim a oportunidade para Fernanda jogar sua primeira Superliga. Infelizmente naquele ano as atletas juvenis do Minas ficaram de fora da convocação da Seleção Brasileira Juvenil devido a um desentendimento entre o clube e a CBV, pois as mesmas formavam a base da equipe adulta minastenista.

2005 foi o ano em que conquistou junto às suas companheiras de seleção o título do Campeonato Mundial Juvenil em Ankara na Turquia.

Sua primeira convocação para a seleção adulta aconteceu em 2006, quando integrou o grupo que conquistou a Copa Pan-Americana em San Juan, Porto Rico.

Depois de quatro temporadas no Minas Tênis Clube, era chegada a hora de mudar. Voltou para São Paulo assinando um contrato com o clube Pinheiros, onde conquistou o Campeonato Paulista de Vôlei em 2009 e naquele mesmo ano, defendendo a Seleção Brasileira, foi campeã do torneio Final Four em Lima, no Peru.

2010

Em 2010, Fe Garay se apresentou na Seleção Militar para disputar o Mundial Militar nos Estados Unidos, onde sagrou-se campeã com o Brasil e foi eleita MVP da competição. Naquele mesmo ano também teve a chance de integrar seleção principal na conquista do vice-campeonato no Mundial do Japão.

VOLEIBOL INTERNACIONAL

Ainda em 2010, teve sua primeira experiência em um clube do exterior, atuando no NEC em Kawasaki, na província de Kanagawa

A dificuldade com o idioma, a distância dos familiares e amigos e a falta de experiência internacional dificultaram muito sua estadia. Além disso, no dia 11 de março de 2011 o Japão foi assolado por uma tragédia, um terremoto que atingiu a escala de 8.9 causando um Tsunami que devastou o país. Com as perdas inestimáveis sofridas pelo povo japonês e o risco de um acidente nuclear, o campeonato foi suspenso. O NEC de Fernanda apesar de classificado para as semifinais, acabou a V-League em quarto lugar e a ponteira terminou como a maior pontuadora da competição.

2011
center Ver Mais
reencontro com o voleibol brasileiro

A temporada 2011/2012 foi de reencontro com o voleibol brasileiro abraçando o projeto do Vôlei Futuro de Araçatuba-SP. A atleta assinou contrato por duas temporadas com a equipe araçatubense, porém mesmo após a conquista do Campeonato Paulista e o terceiro lugar da Superliga, o time do Volei Futuro foi desfeito ao término da primeira temporada.

Com a seleção militar em 2011 no Rio de Janeiro, Fernanda conquistou seu segundo mundial e novamente foi eleita a MVP da competição. Na seleção principal, a jogadora conquistava cada vez mais a confiança da comissão técnica, sendo decisiva na conquista do Panamericano de Guadalajara e fazendo parte do grupo que conquistou o segundo lugar do Grand Prix daquele ano.

2012
REALIZAÇÃO DE UM SONho

2011 e 2012 foram anos muito especiais. Com belas atuações Fernanda foi ganhando uma força única na Seleção Brasileira, o que resultou na melhor notícia que poderia receber naquele momento: seu nome estava na lista das atletas convocadas para os Jogos Olímpicos. Em Londres, a atleta realizou o seu sonho de disputar uma Olimpíada. Viveu o seu momento de maior glória marcando o ponto decisivo da grande final e conquistando o Ouro Olímpico. Além disso a atleta foi a melhor passadora da competição. 

Mas aquela fase iluminada não parou por aí. Na mesma temporada defendeu o Sollys/Osasco conquistando um título Paulista, um Sulamericano e um Mundial de Clubes. Foi eleita a melhor atacante da Superliga, quebrando o recorde de pontos da competição em uma só partida com 36 pontos anotados.

Em 2013 mais uma vez defendendo a Seleção Brasileira conquistou o Montreaux Volley Masters, onde foi eleita a MVP da competição, o Grand Prix de Voleibol da FIVB e a Copa dos Campeões.

2013
center Ver Mais
ADMIRAÇÃO DE CLUBES ESTRANGEIROS

Depois do seu sucesso nos Jogos Olímpicos e no Mundial de Clubes, Fe Garay despertou interesse de vários clubes de voleibol europeus. Então mais uma vez, fez as malas e viajou para Istambul para jogar na equipe do Fenerbahçe. Dessa vez, muito mais madura do que na sua temporada no Japão, aproveitou melhor essa nova chance internacional. Suas experiências não ficaram só dentro da quadra. Resolveu ter novos aprendizados experimentando o lado cultural e social que a cidade tinha a oferecer.

Essa temporada lhe rendeu o título da CEV Cup e os vice-campeonatos da Copa da Turquia e da Liga Turca, onde acabou sofrendo uma lesão muscular na panturrilha durante o jogo decisivo da semi-final contra o Eczacibasi e teve que assistir às finais da arquibancada.

Ao final da temporada com o Fenerbahçe, recebeu uma proposta do voleibol Russo, resolveu aceitar e dar continuidade à sua carreira no Dínamo Krasnodar. Fe Garay se apresentou para o início da temporada 2014/2015 após o término dos compromissos com a Seleção Brasileira, onde conquistou o Grand Prix de Voleibol da FIVB e o Bronze no Mundial. Atualmente a temporada Russa ainda está em andamento e com sua força no ataque e seu passe preciso já ajudou sua equipe a conquistar a Copa da Rússia, competição que o Dínamo Krasnodar não vencia desde 1994 e também o título inédito da CEV Cup, se tornando bi-campeã da competição.

Apesar do frio intenso da Rússia, Fe Garay esquenta os corações dos torcedores com suas emocionantes performances em quadra e de suas colegas de time com seu carisma e alegria de sempre.


Fe Garay continua fazendo história por onde passa.

Patrocinadores